A imprensa de Santa Catarina comemora o 188º ano de sua fundação no dia 28 de julho

No próximo dia 30, Laguna comemora o aniversário de número 188 da imprensa de Santa Catarina. As comemorações são organizadas pela Associação Catarinense de Imprensa (ACI) e contam com apoio das casas maçônicas e entidades locais.

Como de costume, o evento acontece na praça Jerônimo Coelho, nome do comunicólogo pioneiro do estado, nascido na cidade Juliana. O militar e político Jerônimo Francisco Coelho é considerado fundador da imprensa e precursor da maçonaria.

A data de aniversário da imprensa é 28 de julho, mas em Laguna as comemorações irão ocorrer no dia 30, a partir das 10h da manhã.

A solenidade contará com o discursos de Arnon, em nome da associação; do odontólogo Wagner Zopelaro, representando a Maçonaria; e prefeito Mauro Candemil.

A programação inclui a assinatura de um protocolo de intenções junto à rede de ensino público e privada de Laguna, para a realização de concurso de redação sobre a vida e obra de Jerônimo Coelho.

Um almoço comemorativo no Iate Clube de Laguna encerra a programação do dia festivo, que conta ainda com visita às obras da escola que leva o nome do fundador da imprensa

Quem foi Jerônimo Coelho

Fundador da imprensa e da Maçonaria em Santa Catarina, Jerônimo Francisco Coelho nasceu em 30 de setembro de 1806, na vila de Santo Antônio dos Anjos de Laguna. É considerado, por vários historiadores, um dos principais nomes catarinenses com forte atuação no Império.

Como político, foi deputado provincial entre 1835 e 1847 (somando seis legislaturas seguidas) e presidente (cargo equivalente, atualmente, ao de governador) das províncias de Grão-Pará (1848-1850) e Rio Grande do Sul (1856-1857).

Militar, defendeu os interesses das armadas brasileiras no gabinete de Dom Pedro II, atuando como ministro da Marinha e de Guerra – por vezes, de maneira concomitante – entre 1844 e 1858. Galgou diversas patentes militares iniciando em 1823, como segundo-tenente (aos 17 anos) e a última, em 1858, sendo brigadeiro do Exército, aos 52 anos. É tido por muitos como ‘pai da engenharia civil brasileira’.

Foi o responsável pela demarcação de terras do que viria a ser a colônia Dona Francisca (mais tarde, cidade de Joinville) e do distrito provincial de Parati (atual, Araquari), ambos no Norte de SC. No campo da imprensa, além de criar O Catharinense em 28 de julho de 1831, chegou a editar um segundo jornal, O Expositor, em 1832 – a prensa utilizada na impressão dos dois periódicos está preservada no Museu Anita Garibaldi, em Laguna.

Jerônimo Coelho morreu em Nova Friburgo (RJ), em 16 de janeiro de 1860, altura em que era vogal licenciado do Supremo Tribunal Militar. Seu nome é emprestado à inúmeras ruas em SC, RS, SP e RJ e ao primeiro colégio público de Laguna, inaugurado em 1912.

Posts Relacionados

WhatsApp chat
//]]>