Número chama atenção de pesquisadores, pois em quatro anos apenas três registros tinham sido feitos da espécie em Laguna.

Quatro tartarugas-de-couro (Dermochelys coriácea) foram encontradas sem vida pelo Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS) entre os dias 25 de setembro e 5 de outubro. As informações foram divulgas pelo órgão nesta segunda-feira, 14.

Segundo o PMP, os números chamaram a atenção da equipe de pesquisadores da Udesc, que coordena o projeto na cidade. O motivo é que nos últimos quatro anos, apenas três registros dessa espécie tinham sido feitos na região de atuação.

“Todas as tartarugas-de-couro estavam em avançado estágio de decomposição, o que dificultou o diagnóstico da causa da morte. No exame externo não foram encontradas evidências de interação antrópica, como anzóis, resíduo sólido, marcas de rede ou óleo. Foram coletadas amostras para determinação de idade dos animais e para possíveis estudos posteriores. Eventos como estes de encalhes próximos não são comuns”, detalha a médica-veterinária do PMP-BS/Udesc, Nicole Nigro.

Em Laguna, os animais foram localizados na região do Farol de Santa Marta, em um balneário conhecido como ‘Praia Grande’ (22 de setembro), Praia do Gi (3 de outubro) e Itapirubá Sul (5 de outubro), estes dois últimos em avançado estado de decomposição. O quarto animal apareceu em 3 de outubro, em uma praia de Jaguaruna.

Sobre a espécie

A espécie é rara no litoral, pois se trata de um animal oceânico. É considerada vulnerável no mundo e no Brasil está em risco de extinção. O único local conhecido de desova no país é no litoral do Espírito Santo, próximo à foz do Rio Doce.

Seu nome é derivado de sua carapaça, formada por uma camada de pela fina resistente e milhares de pequenas placas ósseas, formando sete quilhas ao longo do comprimento. Conforme o PMP-BS, que cita o Projeto Tamar, o animal é conhecido popularmente como tartaruga-gigante, já que pode alcançar 178 centímetros de comprimento curvilíneo da carapaça e aproximadamente 400 quilos.

Como acionar o PMP

Caso algum animal marinho vivo ou morto seja encontrado, entre em contato com o projeto pelo telefone 0800-642-3341. O acionamento permite o deslocamento de uma equipe de veterinários e pesquisadores ao local para resgate dos espécimes.

O PMP-BS é uma atividade desenvolvida para o atendimento de condicionante do licenciamento ambiental federal das atividades da Petrobras de produção e escoamento de petróleo e gás natural no Polo Pré-Sal da Bacia de Santos, conduzido pelo Ibama.

 

Fonte: Agora Laguna

Posts Relacionados

WhatsApp chat
//]]>