O encontro ocorrerá em Santa Rosa de Lima, Capital da Agroecologia, nesta quinta-feira, dia 15 de agosto, às 19 horas, no Salão Comunitário da cidade.

Os possíveis impactos da exploração de uma jazida de fosfato no município de Anitápolis será tema de audiência pública promovida pela Assembleia Legislativa. O encontro ocorrerá em Santa Rosa de Lima, Capital da Agroecologia, nesta quinta-feira, dia 15 de agosto, às 19 horas, no Salão Comunitário da cidade.

Além de mobilizar lideranças, o objetivo também informar e conscientizar a comunidade a respeito do assunto. A proposta é apresentar informações técnicas a respeito dos riscos e possíveis impactos que podem ser causados a toda uma região. “A população de Santa Rosa de Lima e, posso afirmar, dos demais municípios da região, é majoritariamente contra a instalação deste empreendimento. Representa um grande perigo para toda a Bacia Hidrográfica do Rio Tubarão”, ressalta o prefeito de Santa Rosa de Lima, Salésio Wiemes. “Se não queremos a mina, precisamos estar bem informados, municiados de dados que possam ser utilizados a nosso favor”, completa.

O município de Santa Rosa de Lima já manifestou-se contrário à instalação da fosfateira por conta do grande risco de danos ambientais à toda a Bacia Hidrográfica do Rio Tubarão e Complexo Lagunar. O projeto prevê, além da extração do fosfato, a construção de duas barragens de rejeitos semelhantes às de Brumadinho e de Mariana, no estado de Minas Gerais, que se romperam e causaram graves catástrofes ecológicas e a morte de centenas de pessoas.

O fosfato é um minério utilizado como base para a produção de fertilizantes químicos. A instalação da mina em Anitápolis prevê a destruição de uma área 300 hectares de Mata Atlântica e a construção de barreiras de contenção de rejeitos que podem atingir uma área de 90 hectares. Além do dano ambiental local, prejudicando nascentes de rios, fauna e flora nativa, um eventual rompimento da barragem de rejeitos – constituídos, entre outros produtos tóxicos, de ácido sulfúrico – causaria danos ambientais, sociais e econômicos de grandes proporções a dezenas de municípios.

A proposição da audiência é do coordenador da Frente Parlamentar das Barragens, Fabiano da Luz, e do Fórum Parlamentar de Defesa e Proteção Ambiental Juntos por Anitápolis, por meio do presidente da Comissão de Economia, Ciência, Tecnologia, Minas e Energia da Alesc, deputado Jair Miotto.

Fonte: André Bianchini – Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Santa Rosa de Lima

 

Posts Relacionados

WhatsApp chat
//]]>