O objetivo do projeto é sempre melhorar a qualidade de vida das pessoas através dos benefícios terapêuticos que a relação Homem-Animal ajuda a proporcionar.

Há muito tempo os animais fazem companhia para o homem. O cachorro, por exemplo, nos acompanham há séculos, seja como animais de caça, de pastoreio, de faro, e agora mais do que nunca nos acompanham também na nossa rotina, sendo um ente muito querido pelas famílias.

O projeto Petterapia criado em 2017, é formado por equipe multidisplinar de profissionais que se habilitam e treinam os cães para que eles possam ajudar as pessoas.

Hoje, eles atuam em Tubarão e Florianópolis especificamente com crianças autistas. Através dos estímulos dos cães, elas interagem, aprendem, socializam. A veterinária coordenadora do projeto, Luísa Lemos Vieira explica que essas interações são todas aplicadas dentro de uma metodologia, cientificamente comprovada e a base de muitos estudos que cada dia são aprimorados. “Nós utilizamos o IAA (Intervenções Assistida por Animais) e objetivo é sempre  melhorar a qualidade de vida das pessoas através dos benefícios terapêuticos que a relação Homem-Animal ajuda a proporcionar,  além de promover saúde física e emocional dos pacientes”.

O Petterapia iniciou seus trabalhos na Unisul e hoje caminha com suas próprias pernas através do Instituto de Pesquisa em Ciências da Vida. O presidente do Instituto, Rodrigo Ávila Mendonça explica que hoje há 15 cães terapeutas, todos eles tem tutores que são adestradores de muito gabarito. “Não é fácil achar um cão terapeuta, e quando o encontramos, já percebemos suas características nos primeiros dias de vida”.

Os cães terapeutas são monitorados também antes e depois das sessões. Segunda a veterinária do projeto, após as terapias, os cães demostram estarem mais felizes e o benefício também é para eles.

Futuramente, outros projetos serão desenvolvidos através do projeto. E mais pessoas poderão ser ajudadas.

Elsie Cademartori
Jornalista SC03293JP

Posts Relacionados

WhatsApp chat
//]]>